sábado, 30 de março de 2013

0 O verdadeiro significado da Páscoa



A Páscoa é uma das datas comemorativas mais importantes do nosso calendário. Atualmente, tornou-se uma data tão comercial, que poucos lembram ou conhecem seu verdadeiro significado. Para além dos chocolates e presentes, a CPAD - editora cristã - reforça a origem do termo, que remonta a aproximadamente 1.445 anos antes de Cristo.
Para contextualizarmos, neste período, de acordo com a Bíblia, os descendentes de Abraão, Isaque e Jacó viviam como escravos há mais de quatrocentos anos no Egito. A fim de libertá-los, Deus designou Moisés como líder do povo hebreu (Êxodo 3-4).
Em obediência ao Senhor, Moisés dirigiu-se a Faraó a fim de transmitir-lhe a ordem divina: “Deixa ir o meu povo”. Para conscientizar o rei da seriedade da mensagem, Moisés, mediante o poder de Deus, invocou pragas como julgamentos contra o Egito.
No decorrer de várias dessas pragas, Faraó concordava deixar o povo ir, mas, a seguir, voltava atrás, uma vez a praga sustada. Soou a hora da décima e derradeira praga, aquela que não deixaria aos egípcios nenhuma outra alternativa senão a de lançar fora os israelitas: Deus mandou um anjo destruidor através da terra do Egito para eliminar “todo primogênito... desde os homens até aos animais” (Êx.12.12).
A primeira Páscoa
Como os israelitas também habitavam no Egito, o Senhor emitiu uma ordem específica a seu povo. A obediência a essa ordem traria a proteção divina a cada família dos hebreus, com seus respectivos primogênitos. Cada família tomaria um cordeiro macho, de um ano de idade, sem defeito e o sacrificaria. Famílias menores podiam repartir um único cordeiro entre si (Êx. 12.4).
Os israelitas deviam aspergir parte do sangue do cordeiro sacrificado nas duas ombreiras e na verga da porta de cada casa. Quando o destruidor passasse por aquela terra, ele não mataria os primogênitos das casas que tivessem o sangue aspergido sobre elas. Daí o termo Páscoa, do hebreu pesah, que significa “pular além da marca”, “passar por cima”, ou “poupar”.
Assim, pelo sangue do cordeiro morto, os israelitas foram protegidos da condenação à morte executada contra todos os primogênitos egípcios. Deus ordenou o sinal do sangue, não porque Ele não tivesse outra forma de distinguir os israelitas dos egípcios, mas porque queria ensinar ao seu povo a importância da obediência e da redenção pelo sangue, preparando-o para o advento do “Cordeiro de Deus,” Jesus Cristo, que séculos mais tarde tiraria o pecado do mundo (Jo. 1.29).
De acordo com a Bíblia, no livro de Êxodo, capítulo 12, versículo 31, naquela mesma noite Faraó, permitiu que o povo de Deus partisse, encerrando assim, séculos de escravidão e inaugurando uma viagem que duraria quarenta anos, até Canaã, a terra prometida.
A partir daquele momento da história, os judeus celebrariam a Páscoa toda primavera, obedecendo as instruções divinas de que aquela celebração seria “estatuto perpétuo” (Êx. 12.14). Era, porém, um sacrifício comemorativo, exceto o sacrifício inicial no Egito, que foi um sacrifício eficaz.
Libertação
Assim sendo, lembremos, não somente nesta data, mas em todos os dias, o verdadeiro significado da Páscoa. Assim como o Todo Poderoso libertou os hebreus da escravidão no Egito, Deus quer nos libertar da escravidão do pecado e por isso, enviou seu Filho, Jesus Cristo, para que “todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. (Jo. 3.16) Vida esta conquistada com sangue “porque Cristo, nossa Páscoa, foi sacrificado por nós.” (I Co 5.7)
Celebremos então a liberdade conquistada por Jesus Cristo na cruz para todos nós!
Fonte: Texto extraído em parte da Bíblia de Estudo Pentecostal




sexta-feira, 29 de março de 2013

0 O profeta Eliseu


Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Eliseu (em hebreu אֱלִישַׁע, “Meu Deus é salvação”) é um profeta Bíblico. Era discípulo de Elias.

Índice
  [esconder

[editar]Visão Judaico-Cristã

Foi o sucessor de Elias no Reino do Norte de Israel. Era filho de Safat e vivia em Abel Mehola, no Vale do Jordão. Pertencia a uma abastada família que possuía 12 juntas de bois. Serviu a Elias durante algum tempo e, antes deste ter ascendido em direção aos céus numa carruagem de fogo, Eliseu pediu-lhe "porção dobrada do espírito de Elias", isto é, uma porção dupla, que era devido a sua primogenitura como seguidor de Elias. Ele ocupa esta posição por causa da sua designação oficial como sucessor de Elias, na época que em que Elias lançou sobre ele seu manto oficial.(2 Reis 1:17; 2:1, 9, 11, 12.)

Foi um dos profetas que mais tem milagres registrados na Bíblia e dentre eles estão listados:
Abriu as águas do Jordão com a capa deixada por Elias (2Reis 2:14)

Transformou uma fonte de água má em água potável utilizando sal (2Reis 2:19-22).

Amaldiçoou os rapazes que zombavam de sua calvice. Deus então envia duas ursas que matam e despedaçam quarenta e dois destes rapazes.(2Reis 2:23-24)

Previu ao rei uma expedição bem-sucedida contra os moabitas (2Reis 3:11-27).

Multiplicou o óleo de uma viúva (2Reis 4:1-7).

Previu o nascimento do filho de uma sunamita e, quando o menino morreu, Eliseu orou e o trouxe de volta à vida (2Reis 4:8-37).

Alimentou cem homens com vinte pães e algumas espigas (2Reis 4:42-44).

Curou o capitão da Síria Naamã de lepra (2Reis 5:1-19).

Fez um machado que havia caído no rio flutuar (2Reis 6:1-7).

Adivinhou os planos dos inimigos do rei (2Reis 6:8-12).

Previu, durante a grave fome de Samaria, que haveria abundância de comida no dia seguinte e, profetizou a morte do oficial que zombou da profecia (2Reis 7).

Após a sua morte, quando um cadáver foi jogado em sua sepultura, assim que tocou nos ossos do profeta, voltou à vida (2Reis 13:20-21).

[editar]Morte
Eliseu foi atacado por uma doença sem cura. Ele chamou Jeoás, filho de Jeoacaz e neto de Jeú para ir visitá-lo. Eliseu disse que ele foi como um exército para defender Israel. Ele também pediu que pegasse um arco e flechas e abrisse a janela que desse para o lado da Síria. Eliseu disse para que o rei retesa-se o arco, e pos suas maos sobre as do rei, orientando-o a lancar as flechas e declarou..." Flecha da vitoria do Senhor", anunciando assim a vitoria sobre os siros.Logo em seguida disse a ele que atira-se contra o solo, o que fez o rei, mas somente por tres vezes,indignado Eliseu lhe afirma que, se o tivesse feito por seis vezes, teria vencido totalmente os siros.

Um bando de moabitas invadia Israel todo ano. Um desses bandos invadiu um funeral e todos fugiram e jogaram o defunto na sepultura de Eliseu. Quando esse defunto tocou nos ossos do profeta, ele voltou a viver. (2Reis 13:20-21)

[editar]Visão muçulmana
Al-Yasa‘, em árabe اليسع , (cerca de 9 a.C. - morte desconhecida)[1][2] é um
Al-Yasa 'era filho de Safet como o sucessor de Ilyas. Ele herdou de Ilyas o obstinado rei e rainha de Israel os quais não quiseram ouvir suas pregações. Al-Yasa 'fez muitos milagres ao povo para mostrar-lhes o poder de Deus, mas eles o chamaram de mágico, como eles tinham chamado Ilyas anteriormente. Eles continuaram a desconfiar durante toda sua vida. .

Após um período de tempo os Israelitas foram conquistadas pelos assírios. Os assírios destruíram o Monte do Tempo e provocaram enormes prejuízos em Israel.

[editar]Ligações externas


[editar]Referências a Al-Yasa in the Alcorão


Referências


Este artigo sobre religião é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.





quinta-feira, 28 de março de 2013

0 1º Trim. 2013 - Lição 13 - A morte de Eliseu I



PORTAL ESCOLA DOMINICAL
PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2013
ELIAS E ELISEU - Um ministério de poder para toda a Igreja
COMENTARISTA: JOSÉ GONÇALVES
COMENTÁRIOS - EV. CARAMURU AFONSO FRANCISCO
ASSEMBLEIA DE DEUS - MINISTÉRIO DO BELÉM - SEDE - SÃO PAULO/SP

 Escrito por  Caramuru Afonso Francisco                                                                                                 


LIÇÃO Nº 13 – A MORTE DE ELISEU
                                               A morte de Eliseu mostra-nos a continuidade do ofício profético que somente se encerraria com Cristo Jesus.

                                              
INTRODUÇÃO

- Concluindo o estudo deste trimestre, estudaremos hoje os episódios finais do ministério do profeta Eliseu.

A morte de Eliseu e suas circunstâncias mostram claramente que o ofício profético continuaria em Israel até que houvesse a completa restauração, o que se deu apenas com Cristo Jesus.

I – ELISEU E O REI JEOÁS

- Estamos terminando o primeiro trimestre letivo da Escola Bíblica Dominical deste ano de 2013, quando estudamos Elias e Eliseu, a fim de, através da biografia e ministério destes dois grandes homens de Deus, termos um norte, uma orientação como devemos nos conduzir nestes dias de apostasia espiritual que caracterizam o último período antes do arrebatamento da Igreja.

- Na lição de hoje, estudaremos os últimos episódios da vida e do ministério do profeta Eliseu, mais precisamente a sua última profecia, relativa à guerra de Israel contra a Síria nos tempos do rei Jeoás, como também a sua morte e seu último milagre, que foi realizado depois de sua morte.

- As circunstâncias da morte de Eliseu e seu milagre póstumo são sinais que o Senhor deixa para Israel no sentido de que o ofício profético, o ministério de restauração espiritual de Israel teria continuidade mesmo depois destes dois gigantes espirituais, pois a efetiva e permanente restauração somente se daria quando viesse aquele profeta que já fora anunciado por Moisés que, com sinais e maravilhas, traria a salvação, a saber, Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo (Dt.18:18,19).

Depois da unção de Jeú, feita por meio de um filho de profeta, o profeta Eliseu sai de cena no texto bíblico. Jeú executa todo o juízo divino sobre a casa de Acabe, cumprindo as profecias de Elias a respeito, mas não promove a restauração espiritual completa de Israel, pois mantém o culto aos bezerros de ouro, seguindo, assim, os pecados de Jeroboão, que seria a causa da destruição do reino de Israel (II Rs.10:29; 17:22,23), o que foi seguido pelo seu filho Jeoacaz (II Rs.13:2).

- Diante desta situação, o Senhor deu um “prazo de validade” para o reino de Israel, dizendo que a casa de Jeú somente reinaria até a quarta geração. Com efeito, depois que reinou o tataraneto de Jeú, Zacarias, o reino de Israel sofrerá uma grande decadência, com uma sucessão de reis que não conseguirão formar dinastias, até ser totalmente destruído pelos assírios.

- Eliseu, certamente ciente desta falha de Jeú e da palavra profética que dava à casa de Jeú apenas cinco reinados, prosseguiu na continuidade do ministério do profeta Elias, junto às escolas de profetas, preparando homens que dessem seguimento ao trabalho de ensino da Palavra de Deus e de manutenção de um remanescente fiel no meio do povo israelita, trabalho que frutificou tendo em vista os profetas que o Senhor continuou a levantar ao longo da história de Israel, como, por exemplo, Amitai e seu filho Jonas (II Rs.14:25) e Oseias.

- Com efeito, a partir de Elias, o papel do profeta sofre uma modificação no reino de Israel. Os profetas passam a ser confrontadores tanto da autoridade real quanto da classe sacerdotal, conclamando o povo à conversão e anunciando a iminência do juízo divino sobre o povo caso não se convertessem (II Rs.17:13,14), numa demonstração de que a situação espiritual de Israel se deteriorava rapidamente.



quarta-feira, 27 de março de 2013

10 Entre frio, morno ou quente, você está em que tipo de crente?


Mas porque és morno, e não és frio nem quente; vomitar-te-ei da minha boca (Apocalipse 3.16)

Dentre as sete cartas enviadas por Jesus às Igrejas da Ásia, eu destacaria três cujos conteúdos são preocupantes; são elas: Tiatira, Sardes e Laodicéia. Das três, no entanto, a que ganha mais destaque é sem dúvida Laodicéia.

Os crentes laodiceanos na sua grande maioria tinham uma característica peculiar, e que se repete em vários crentes da atualidade – “a mornidão espiritual”.

Vivemos numa época em que encontramos estes três tipos de crentes nas igrejas: o frio, o morno e o quente. Segundo o Senhor Jesus, o pior deles é o morno. Vamos então tentar entender o porquê?

O crente frio – eu particularmente caracterizo o crente frio como aquele que desistiu de lutar, ou seja, parou diante dos problemas e das lutas. Acontece às vezes na nossa vida, problemas tão gigantes (aos nossos olhos) que somos obrigados a recuar; simplesmente perdemos a fé, ou seja, desanimamos e procuramos alguma caverna para nos esconder.

Quando o crente chega nesse grau de desânimo ou de “frieza” ele pode perfeitamente ser ajudado por Deus, ou seja, ser socorrido antes que morra definitivamente.

Portanto se você está triste, abatido e desanimado diante das lutas, eu tenho uma boa notícia: Deus está vindo em teu socorro! É só esperar mais um poucochinho de tempo e o que há de vir virá e não tardará.

O crente morno – esse tipo de crente sim é complicado. Complicado porque ele nem é nem deixa de ser. É aquele tipo de crente que se acha crente, salvo e abençoado, mas que às escondidas dá suas escapadelas e pratica aquilo que é abominável aos olhos de Deus.

O crente morno não reconhece seu estado de miserabilidade espiritual e continua agindo normalmente, como se nada estivesse acontecendo. É por isso que a vida dele corre grande perigo.

Sabe aquele crente que no domingo ele está no culto alegre sorridente e cumprimenta todo mundo, mas, durante a semana ele se transforma num devorador de homens? Ele em casa com a esposa e os filhos parece um cavalo (sem ofensa aos cavalos), no trabalho ele é um piadista, imoral com as mulheres e desonesto com os negócios. Mas quando ele chega à Igreja no próximo domingo se veste de anjinho, puxa vida, parece até o transformers.

Sabe aquele pessoal que diz que um pouquinho não faz mal porque Deus só quer o coração? Você já ouviu falar daquela galera do “nada a ver”? Pois bem, com Jesus tem tudo a ver. Tudo o que somos, fazemos, falamos, olhamos etc. interessa a Jesus o Senhor e Salvador de nossas vidas.

A “esse tipo de crente (o morno) Jesus diz:” Mas porque és morno, e não és frio nem quente; vomitar-te-ei da minha boca”.

Eu não sei que tipo de crente você é, mas se estiver enquadrado nesse segundo grupo, CUIDADO pois Deus não deixa escarnecer (Gálatas 6.7).

O crente quente – Você conhece algum crente quente? Eu não só conheço vários, como também procuro a todo o custo (ainda que não seja fácil) ser um deles.

O crente quente é uma benção. É aquele crente que não obstante as lutas e ameaças ele permanece firme no seu propósito de servir e adorar única e exclusivamente a Deus o Todo Poderoso.

O crente quente é aquele que é santo na Igreja, mas também é santo em casa, é sincero no culto mas também é sincero no trabalho, é honesto com os irmãos no templo mas também é honesto com a sua esposa e com os negócios.

Você é um destes? PARABENS! Você quer ser um destes? SEJA BEM VINDO! Você é um destes, mas quer sair do grupo? COITADO DE VOCÊ!

João Augusto de Oliveira



terça-feira, 26 de março de 2013

0 Protesto contra Marco Feliciano no Rio une políticos esquerdistas, pastores e pais-de-santo



Jean Wyllys elogia presença de pastores na manifestação

Julio Severo

Em manifestação contra o deputado federal Marcos Feliciano (PSC-SP) na presidência da Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Câmara dos Deputados, cerca de 500 militantes esquerdistas estiveram, na tarde do dia 25 de março, na Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no Rio. O protesto contou com o apoio de diversos líderes religiosos.

Manifestação contra Marco Feliciano no Rio com a presença de políticos esquerdistas, pastores e pais-de-santo
A manifestação foi organizada pelo deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL-RJ). Outros políticos esquerdistas presentes foram os deputados federais Chico Alencar, Jean Willys (ambos do PSOL-RJ) e Alessandro Molon (PT-RJ).
Como membro da CDH antes de Feliciano, Alencar canalizou quase dois milhões de reais só para o kit gay. A revolta dele e seus colegas tem explicação: Com Feliciano na presidência da CDH, as farras homossexualistas vão perder milhões de reais.
Na manifestação no Rio, houve a participação de um reverendo presbiteriano, um pastor batista, líderes de religiões afro-brasileiras e militantes homossexuais.
Para o Rev. Marcos Amaral, pastor da IPB que comanda o presbitério de Jacarepaguá, o deputado Feliciano, ao não respeitar a pluralidade, “desrespeita os valores do próprio Reino de Deus.”
“A compreensão de mundo no Reino de Deus é baseada na Justiça, na igualdade e na ética. E as declarações de Feliciano ferem tudo isso, não são nada cristãs. Ele precisa entender que aniquilar o outro é aniquilar a própria missão divina. Já os evangélicos precisam entender que o mundo não é uma capela, existem várias verdades na cabeça de cada um, que devem ser respeitadas”, disse o Rev. Marcos, conforme reportagem do Jornal do Brasil.

Em concordância com o pastor, o pai-de-santo Ivanir dos Santos disse: “[Queremos] alertar a sociedade para a necessidade de que se tenha na Comissão de Direitos Humanos da Câmara uma pessoa que de fato represente todas as diversidades.”

Pai-de-santo Ivanir dos Santos
Em 2009, o pai-de-santo Ivanir, com o patrocínio direto do governo Lula, participou de uma conferência da ONU para denunciar os evangélicos do Brasil. Ivanir, que representa o candomblé, lidera uma campanha governamental de “combate à intolerância religiosa”. Essa campanha conta com o apoio do fiel aliado dele: o Rev. Marcos Amaral, que já foi denunciado várias vezes, durante anos, no meu blog. Amaral, que já demonstrou ter horror às igrejas neopentecostais, parece não ter o mesmo sentimento quando luta lado a lado de pais-de-santo nas campanhas governamentais contra o preconceito e a discriminação às religiões afro-brasileiras.
O deputado federal Jean Wyllys (Psol-RJ), supremacista homossexual que já manifestou diversas vezes o repúdio à eleição de Feliciano para a CDH, destacou a importância da presença de pastores evangélicos na manifestação contra Feliciano no Rio. Ele disse: “Esse ato hoje é um evento plural que envolve diversas religiões, inclusive evangélicos, e todos estão juntos em defesa de um estado laico. O Feliciano só vai sair do cargo se houver pressão.”
A participação do Rev. Marcos Amaral no evento deve ter empolgado Wyllys, que é adepto das religiões afro-brasileiras e disse tempos atrás que “os calvinistas são aliados do movimento homossexual.”
A manifestação no Rio também incluiu artistas como o cantor Caetano Veloso, o ator Wagner Moura, as atrizes Leandra Leal e Dira Pae e também a cantora Preta Gil, que fez questão de dizer que é “homossexual.”
Com informações do Jornal do Brasil de 25 de março de 2013.










0 Porque estás olhando para nós?


“...Por que vocês estão olhando para nós, como se tivéssemos feito este homem andar por nosso próprio poder ou piedade” (Atos 3.12b)

Deus ainda realiza milagres! Deus ainda usa homens e mulheres com poder e autoridade para proclamar a sua palavra, salvar almas e operar sinais no meio da humanidade; disso eu não tenho a menor dúvida.

Assim como aconteceu no livro de Atos dos Apóstolos (início da Igreja de Cristo), acontece também nos dias hodiernos. Não sou “cessassionista” embora respeite os que são, mas eu acredito na atualidade dos “Dons Espirituais”, dentre eles a ministração da cura divina e a operação de milagres.

O que observo em toda a Escritura Sagrada é que os milagres operados pelos santos e principalmente pelo Senhor Jesus tinham alguns propósitos principais para o reino de Deus quais sejam: Glorificar a Deus, Operar a salvação completa conquistada por Cristo na cruz e atrair as vidas.

Dito isto ouso dizer que hoje em dia estes propósitos têm sido desvirtuados. E não somente isso, mas a glória advinda da operação de curas e sinais, que deveriam estar sendo total e completamente dirigidas à Majestade Divina está sendo usurpada por homens e mulheres mortais.

Observe que Pedro quando curou aquele coxo em nome de Jesus (Atos 3.6) de forma alguma tomou a “Glória de Deus para si”. As pessoas ficaram perplexas com o milagre operado e estagnadas que estavam, começaram a reparar nos apóstolos Pedro e João como se os tais tivessem operado aquele grande milagre. Já estavam  ao ponto de ovacioná-los como deuses, ao que imediatamente Pedro exclama:” Por que vocês estão olhando para nós, como se tivéssemos feito este homem andar por nosso próprio poder ou piedade”!
Em outras palavras Pedro estava dizendo: Quem realizou o milagre foi Deus através de Jesus de Nazaré e não nós. Então se vocês querem glorificar alguém que seja a Ele. Ele é digno de honra, glória, louvor, exaltação e adoração. Não meros seres humanos.

Ó se alguns ministros da atualidade aprendessem esta lição de Pedro e parassem de usurpar a glória que somente a Deus pertence.  A glória é dEle e Ele não divide nem dá a ninguém (Isaías 42.8). Se você quiser leia ainda a passagem de Paulo e Silas em Listra e veja a mesma atitude desses ilustres servos de Deus (Atos 14.6-18).

Quando Deus através da nossa instrumentalidade faz algo de sobrenatural como salvar uma alma das trevas, curar de uma enfermidade ou mesmo operar um milagre, lembremo-nos de que somos apenas a “ferramenta” que ele usa e nada mais. Somos apenas o martelo ou o serrote nas mãos do “carpinteiro”, não confundamos, pois os papéis sob pena de sermos repreendidos e punidos por ele. Mas fiquemos na posição de ferramentas afiadas e preparadas, pois a qualquer momento o carpinteiro precisará nos usar de novo.

Fiquem todos com Deus e tenham uma boa semana,

        João Augusto de Oliveira



domingo, 24 de março de 2013

0 O abandono da autoridade das Escrituras


por Renato Vargens

Uma das maiores tragédias que pode acontecer a uma igreja é o abandono da autoridade das Escrituras. Quando isso acontece, alguns problemas aparecem a reboque, senão vejamos:
1- O surgimento do liberalismo teológico.  
Sem sobra de dúvidas o liberalismo teológico é um câncer que vagarosamente arrebenta a saúde da Igreja. Como bem afirmou Augustus Nicodemus os “Liberais são parasitas, e assim como um vírus  se instala num organismo debilitando o corpo do individuo, da mesma forma eles se instalam na igreja sugando-a até ficar só a carcaça, para depois buscar outro hospedeiro”. 
2- A relativização da Palavra de Deus.
Um claro exemplo de alguém que abandonou o suficiência das Escrituras é Rob Bell. O fundador da mega-igreja Mars Hill Bible Church, em Grandville, Michigan há pouco afirmou ser favorável ao casamento homossexual. “Sim, eu sou favor do casamento. Estou a favor da fidelidade. Sou a favor do amor, seja entre um homem e uma mulher, ou entre duas mulheres, ou de um homem com outro homem (…) este é o mundo que estamos vivendo e precisamos apoiar as pessoas sem importar o modo como estejam.”, disse o pastor. Noutra aoportunidade Bell já havia negado a literalidade dos milagres, o nascimento virginal de Cristo e a salvação por meio dele, isso sem falar no universalismo (crença de que todos serão salvos, mesmo sem nunca crer em Cristo).
3- O sincretismo religioso
Quando a Bíblia deixa de ser ouvida como única e exclusiva fonte de autoridade doutrinária, outras fontes encontram eco no coração dos homens. Nessa perspectiva abre-se espaço para o sincretismo religioso o qual por razões óbvias tem feito um enorme mal a Igreja brasileira.
4- O misticismo exacerbado.
Uma das principais marcas de uma igreja que abandonou as Escrituras é o misticismo. Para estas, o que vale são as experiências com o Eterno e nada mais. Para os adeptos deste tipo de comportamento a experiência é mais importante que a Palavra de Deus. Nessa perspectiva se alguém vivencia um evento místico que se contrapõe as doutrinas bíblicas este evento precisa ser valorizado em detrimento as Escrituras que deve ser rechassada ou no máximo colocada no mesmo pé de igualdade  da experiência vivenciada. 
5- O descompromisso com a sã doutrina
Uma igreja que abandonou as Escrituras não é uma igreja compromissada com a Palavra de Deus. Na verdade, uma igreja que não estuda e prega sistematicamente a Palavra de Deus deixou de experimentar em sua vida comunitária  ensinamentos indispensáveis a saúde cristã.
6-  O abandono da evangelização
Uma igreja que abandona as Escrituras não evangeliza mais. Uma igreja onde a Bíblia não é ensinada não existe paixão pelas almas e pelo seu destino eterno. Igrejas deste nipe, pregam sobre como ter uma vida vitoriosa, ou como ser próspero, ou até mesmo como possuir uma família perfeita, no entanto, não pregam mais o fato inexorável de quem sem Cristo os homens irão para o inferno.
Caro leitor, como já afirmei inúmeras vezes nesse BLOG, o reformador João Calvino costumava dizer que o verdadeiro conhecimento de Deus está na Bíblia, e de que ela é o escudo que nos protege do erro. Portanto, em tempos difíceis como o nosso, precisamos regressar URGENTEMENTE à Palavra de Deus, fazendo dela nossa única regra de fé, prática e comportamento.


 

A voz da Palavra Profética Copyright © 2011 - |- Template created by Jogos de Pinguins